Escolha uma Página

Implementar a LGPD em seu salão de beleza é algo importante por questões legais, já que as empresas que não seguirem as novas regras podem ser punidas. Além disso, ao seguir a legislação é uma forma de mostrar como a sua empresa está preocupada com a segurança das clientes.

Essa lei levou diversos anos para ser elaborada, porque conta com uma série de questões importantes. Foram mais de 10 anos de discussão, além disso, após ter sido sancionada, passou por adiamentos antes de entrar em vigor. Portanto, as empresas dos mais variados setores tiveram mais tempo para se adaptar.

A nova lei precisa ser compreendida pelos empreendedores, já que é algo muito importante para os próximos anos. Se você tem um salão de beleza, é melhor começar a se preparar desde já, evitando aborrecimentos depois. Confira agora dicas para implementar a LGPD no seu negócio!

O que é LGPD?

A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) entrará em vigor somente em 2021, caso não seja adiado mais uma vez. Contudo, desde setembro de 2020 a legislação já está valendo, mas sem punições para as empresas que não cumprirem as novas regras. Por isso, implementar a LGPD em seu salão de beleza ainda é possível.

Em suma, a LGDP é uma lei que visa garantir o direito tanto dos consumidores quanto dos profissionais que fazem parte de uma empresa. Desse modo, devem ser solicitados em momentos de cadastros apenas informações fundamentais para a operação. É fundamental tomar cuidado e fazer uma avaliação sobre os processos atuais.

Por exemplo, existem os chamados dados pessoais sensíveis, que dizem respeito a questões como:

  • Etnia;
  • Orientação sexual;
  • Posicionamento político.

Eles devem ser evitados em um salão de beleza, solicite apenas informações necessárias quando uma cliente for marcar um horário. Em relação aos colaboradores da empresa, é melhor eliminar todos os dados após um profissional ser desligado, por exemplo. E durante o recrutamento, o cuidado deve ser o mesmo.

Dicas para aplicar a LGPD em seu salão de beleza

Aplicar a LGPD em seu salão de beleza é algo bastante importante, já que empresas multadas podem receber uma punição de até R$ 50 milhões. Desse modo, o vazamento de dados pessoais é algo que deve ser combatido.

É melhor ter apenas dados fundamentais à disposição, já que assim os riscos tornam-se muito menores. A seguir você confere 3 dicas que podem ajudar a implementar a nova lei de proteção de dados no seu estabelecimento:

1.     Tenha o consentimento das clientes

A LGPD tem um ponto muito importante, que diz respeito a comunicação entre empresas e clientes. Desse modo, é essencial que as pessoas tenham consentimento do uso de seus dados pessoais. Aliás, possivelmente você já recebeu uma enxurrada de e-mails, mesmo que não tenha oferecido autorização para algo desse tipo.

Dessa forma, a Lei Geral de Proteção de Dados indicou que os clientes devem autorizar o processo que é conhecido como tratamento de dados. Portanto, os dados devem possuir uma finalidade bem declarada já no momento em que são conquistados. Ou seja, se o número de WhatsApp foi obtido para marcar um horário, não pode ser usado para entregar anúncios.

O melhor caminho a ser seguido é construir uma política de proteção de dados bastante clara, com um texto completo, onde o usuário precisa confirmar que concorda com os termos. Assim, é colocada em prática transparência na relação, o que gera mais confiança para o relacionamento.

2.     Interesse do usuário

Conforme a LGPD, não basta apenas que o consumidor seja comunicado sobre o tratamento de dados, é importante respeitar o legítimo interesse do usuário. A partir do momento em que a lei passou a valer, as empresas foram proibidas de informar suas listas de e-mails a terceiros. Aliás, é uma prática comum a compra destas listas, para enviar mensagens aos destinatários.

Portanto, nada de pensar em comprar uma destas e disparar uma série de mensagens. Além de levar informações para pessoas que provavelmente não possuem interesse, ainda é algo irregular. Afinal, um dos objetivos da LGPD é dar mais privacidade para os usuários, que com a lei passam a ter direitos que não contavam antes.

3.     Invista em um sistema de gestão

É necessário armazenar as informações dos clientes em algum lugar, por isso, os bancos de dados digitais aparecem como boa alternativa para a questão. Além de contar com um local seguro para guardar os dados, é importante que o número de pessoas com acesso liberado à informação não seja grande.

Existem sistemas que são protegidos por criptografia de ponta a ponta, impedindo que pessoas mal intencionadas tenham acesso aos dados e façam algum mal. Enfim, a empresa deve definir os responsáveis por cadastrar dados, avaliar a presença deles no sistema e ainda descartar as informações desnecessárias.

O cliente tem o direito de solicitar a exclusão de seus dados do sistema. Por exemplo, tem uma cliente que faz as sobrancelhas a cada 20 dias, mas ela vai mudar de cidade e deixará de frequentar o salão. Então, assim que ela fizer o pedido de exclusão, a empresa é obrigada a realizar o procedimento.

LGPD em seu salão de beleza: o direito das clientes

Em primeiro lugar, todas as pessoas possuem direito de saber qual é a finalidade dos dados solicitados. Além disso, podem solicitar a exclusão, sem indicar o motivo que levou a essa pedido.

A cliente pode solicitar a alteração de dados fornecidos em um primeiro momento. Isso é válido para quem tem um salão de beleza, uma barbearia ou qualquer outro estabelecimento.

Quando for fazer um novo registro, não peça mais do que e-mail, telefone e documento de identificação. Além disso, o endereço até pode ser solicitado, mas evite outras solicitações abusivas.

VEJA TAMBÉM: Dicas para enfrentar a crise no seu salão de beleza

Administrar um salão de beleza não é uma tarefa fácil, porque além de manter um bom relacionamento com as clientes, é necessário lidar com os fornecedores. Por isso, se você quer renovar o seu mix de produtos, aqui na Ecobelle é possível encontrar fórmulas inovadores, que vão conquistar as clientes!

WhatsApp chat